Nome
E-mail
Home » Grupos Associados


 
GFA Caldas da Rainha

Fundado em: 15 de Agosto de 1993

Cabo: Francisco Mascarenhas

Rua Professor José Lalanda Ribeiro, nº5 – 6º Esq.
2500-884 Caldas da Rainha

Telemóvel: 913.999.495

Endereço de mail: francisco.oc.mascarenhas@gmail.com

NIF: 503 899 887

NOTA: A data indicada como Fundação é da responsabiliadde do Grupo de Forcados, sendo que a ANGF, até prova em contrário, não as subscreve

História do Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha

Desde o segundo quartel do XIX que surgiram nas Caldas condições para que ao longo dos anos a festa brava fosse criando raízes.

Ganadeiros, cavaleiros e forcados foram moldando a história da cidade que preserva a mais antiga data de corrida de toiros do país. O 15 de Agosto nas Caldas realiza-se consecutivamente desde 1883.

De entre figuras de renome que marcaram a história da tauromaquia nacional, como Faustino da Gama, Vitorino Froes, Joaquim Alves, José Tanguenho, foram igualmente surgindo forcados que nas décadas de 40 e 50 já se reuniam para envergar a jaqueta das ramagens defendendo o nome das Caldas da Rainha. Eram sugestivamente conhecidos como os “louça fina”.

Em 1976 outro grupo surgiu que, representando as Caldas da Rainha, conseguiu recuperar a tradição tauromáquica somando actuações em variadas praças de Portugal, até ao ano de 1984.

Em 1993, precisamente na tradicional corrida do 15 de Agosto, surge o actual Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha. Foi fundador e seu primeiro Cabo, o então jovem Vasco Morgado. O grupo surgiu como forma de corporizar a ideia de responder satisfatoriamente e positivamente aos anseios de um número significativo de jovens aficionados à festa de toiros que desejavam ser forcados, como se a voz da tradição insistisse na inevitabilidade de manter viva a tauromaquia nas Caldas da Rainha. Neste contexto, o objectivo primordial do grupo não era pegar muito, nem somar corridas só por somar. Visto que o grupo era muito jovem e com pouca experiência, o essencial era crescer com um espírito próprio, criar uma personalidade e uma alma de grupo que seja espelho de virtudes, de domínio técnico, de valor e arte. Deste modo, o Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha foi crescendo independentemente de forças e pressões, o que permitiu criar raízes de amizade inigualáveis.

No 15 Agosto de 2000, o Vasco Morgado passou a jaqueta ao também fundador do grupo Francisco Paiva Calado que se torna nesse dia o 2º e actual Cabo.

Depois do Francisco Paiva Calado ter capitaneado o Grupo durante 6 bons anos, foi ao Nuno Vinhais que coube a honra e responsabilidade de assumir o Grupo como Cabo desde o dia 15 de Agosto de 2006, como não podia deixar de ser!

O percurso sereno para uma sólida afirmação do grupo no panorama taurino português é um objectivo constante, dando-se mais importância à qualidade exibicional do que à quantidade de corridas.
Neste momento o grupo está bem e recomenda-se, o mais difícil é arranjar corridas, porque de resto a motivação é grande, o espírito é bom, o treino é constante e a verdade e a amizade que nos une, veteranos e actuais, é um exemplo e uma escola que sabe bem contemplar!

Sobre o lema da VERDADE é desta forma que o GFACR tem vindo a crescer e é assim que se quer manter.

Apesar da ainda curta existência, pelo grupo já passaram bastantes forcados de valor reconhecido.

O Grupo encontra-se constituído como associação desde 1998, sendo uma forma de estar organizado e apresentar os seus próprios estatutos. Apresenta também uma Carta Nobre que tem por objectivos reunir uma série de circunstâncias com as quais todos os elementos se identificam, e perpetuar os princípios do Grupo. Com efeito, a Carta Nobre é uma linha orientadora extremamente importante para o Grupo e como o próprio nome diz é uma carta de princípios, princípios como lealdade entre as pessoas, a amizade e a coesão do grupo.

CARTA NOBRE DO GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE CALDAS DA RAINHA

O Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha é uma instituição que tem por objectivo:

· O enriquecimento e desenvolvimento da personalidade de cada um dos seus elementos, nomeadamente da coragem pessoal, determinação e autoconfiança.

· O enriquecimento e desenvolvimento do carácter de cada um dos seus elementos, designadamente cultivando os princípios que sustenham as relações de amizade. A amizade é entendida como um sentimento que se cultiva livremente no respeito mútuo e que se fortalece na vivência da Solidariedade, Lealdade e Verdade entre as pessoas.

· A realização vivência do Espírito de Grupo, o qual se traduz:
· Na coesão do Grupo;
· Na defesa da identidade, autonomia e independência do Grupo em relação a qualquer outra instituição;
· Na procura e defesa do interesse colectivo;
· O cultivar e desenvolver de um ambiente de diversão e bem-estar.
· A defesa do património cultural português representado na instituição que é a corrida de toiros à portuguesa, assim como da sua autenticidade.
· Aperfeiçoar a arte de pegar toiros.

Os princípios acima enunciados inspiram-se numa visão cristã do Homem e do mundo.

Elementos para a temporada de 2009

Nuno Vinhais (Cabo), Emanuel Casimiro, Francisco Rebelo de Andrade, Óscar Carvalho, Marco Cruz, Diogo Ornelas, Luís Miranda, Pedro Figueiredo, Ricardo Rodrigues, Xavier Ovidio, Tiago Ribeiro, Salvador Costa Pereira, Paulino Reis, Alberto Carvalho Neto, António Galiano, Vasco Caldas, Pedro Santos, José Sousa Dias, Mário Cardeira, Nuno Castelo Branco, Miguel Roquette, Guilherme Carvalho Neto, Francisco Mascarenhas, António Cunha e Francisco Galiano.


Foto actual (2009)


Caldas da Rainha 1 de Outubro de 2006

Visitar Site »